Os 3 erros mais comuns no cuidado com orquídeas

orchids_0034
Share Button

Se você chegou até aqui deve estar interessado em adquirir sua primeira orquídea ou, melhor ainda, já está com esta linda planta em mãos. Já avisamos: você corre o risco de se apaixonar e querer cada vez mais orquídeas!

Entretanto, alguns cuidados devem ser tomados para que a planta se mantenha sempre saudável e com a floração nos períodos corretos.

Eis alguns dos cuidados básicos que devemos ter:

Evitar o excesso de água

As orquídeas podem ser divididas em três tipos diferentes no que se refere às necessidades de água. Há as que devem ser mantidas úmidas todo o tempo, aquelas que pode-se deixar secar entre as irrigações com exceção da fase de crescimento, e ainda as que pode-se deixar secar entre as irrigações independente do ciclo de crescimento em que se encontram.

O detalhe em comum é que nenhum desses três tipos precisa de água em excesso, pois isso pode matar as raizes. Mantê-las úmidas é suficiente, e a frequência com que isso deve ocorrer depende também do clima do local. Em lugares mais quentes e secos pode-se dar agua uma vez por semana ou até duas, dependendo do tipo de orquídea. Já em locais mais frios, uma vez a cada dez dias é o suficiente.

Deve-se tomar o cuidado de deixar toda a água escorrer pelo substrato e não enxarcar a planta. Experimente utilizar um pulverizador de água.

Incidência direta do sol

As orquideas gostam de bastante sol, mas nunca direcionado diretamente sobre a planta. Isso também não signfica que elas não gostem de calor, na verdade elas preferem temperaturas amenas a quentes.

Um bom indicativo da boa intensidade de luz recebida pela orquídea é a cor da folha, sendo que um verde mais claro indica uma melhor qualidade ao invés de um verde mais escuro (pouca luz) ou uma cor avermelhada (luz em excesso).

Nunca plantar na terra

O substrato é uma mistura de matéria que tem como objetivo nutrir o solo onde a planta será depositada. Além de servir de base para a planta, deve reter os nutrientes, não possuir compostos tóxicos, permitir a boa entrada de ar nas raízes e manter o pH desejado. Naturalmente, é difícil encontrar um substrato que atenda todas essas necessidades simultaneamente, sendo o ideal realizar uma combinação ou fazer um balanço entre as vantagens e as desvantagens.

Aqui vai algumas dicas de substratos prontos para uso e de muita qualidade: Substrato para orquídeas

Eis dois dos vários tipos de substratos que podem ser usados em orquídeas:

Comum: feito de casca de pinus, é facilmente encontrado e retém o adubo por até quinze dias. Também permite a entrada de ar, aumentando a porosidade do solo. Isso pode fazer com que a planta não fique estavél, tornando necessário um tutor (que é um apoio para que o caule não balance no vaso, mantendo a planta fixa). O substrato comum retém bem a umidade, mas tende a se decompor rápido, durando aproximadamente um ano. Exemplo: Substrato Comum

Madeira: São produzidos de resquícios de madeira nobres picadas, como: peroba rosa, canela, cedros, guajuvira, etc. Apresenta as mesmas qualidades que os substratos comuns feitos de casca de pinus, mas com a durabilidade diferenciada, chegando a aproximadamente 3 anos.

Agora que você conhece um pouco mais pode cuidar melhor ainda de suas orquídeas. Existem ainda sociedades e grupos de cuidado com orquídeas que podem fornecer outras dicas valiosas e até exemplares de plantas, além de fóruns de discussão, onde os integrantes trocam experiências de jardinagem. Procure um em sua cidade ou na internet!

Fonte: Blog Plantei

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>